Errando é que se aprende

207
Compartilhar:
matéria_710x375px

FailCon, feira que discute fracassos cometidos no meio empresarial, chega a terceira edição no Brasil.

Evento acontece de 11 a 14 de setembro em Porto Alegre; veja entrevista com um dos organizadores.

Uma feira que reúne empreendedores com o propósito de discutir os fracassos cometidos no meio empresarial. Essa é a proposta da FailCon, que chega neste ano à terceira edição em solos brasileiros. “Sabemos que o sucesso jamais pode ser replicado, pois depende de uma série de fatores que não controlamos. Então, se estamos mais próximos de falhar do que de ter sucesso, nada melhor do que aprender o máximo sobre o assunto para que possamos aprender e saber lidar com ele”, explica Flávio Steffens de Castro, um dos co-organizadores do evento no Brasil.

Em conversa com a Radar Executivo, o empresário contou que a ideia de trazer a FailCon para o Brasil surgiu em 2010, apenas um ano após a “estreia” do evento nos Estados Unidos, onde foi criado, na cidade de São Francisco. Desde 2012, a feira, realizada nacionalmente em Porto Alegre, tenta levar empreendedores e investidores em geral a estudarem suas falhas e se prepararem para o sucesso.

A expectativa dos organizadores da edição brasileira da FailCon é de que, dada a grande procura, o evento possa chegar a outras capitais. O modelo da feira não é muito diferente do que já é feito mundo afora, a grande diferença é no conteúdo abordado pelos palestrantes. No lugar de empresários que sobem ao palco para falar como tornaram seus negócios lucrativos, estão empreendedores que compartilham os erros cometidos ao longo do caminho trilhado até atingir o tão almejado sucesso.

Flávio Steffens de Castro organiza a FailCon Brasil ao lado de Rafael Chanin. Ambos são empreendedores na área de tecnologia. Em 2014, a feira acontece mais uma vez em Porto Alegre, de 11 a 14 de setembro, dentro da programação da Feira do Empreendedor do Sebrae-RS. Confira a entrevista feita pela Radar Executivo com um dos organizadores.

 

Por que FailCon e como tiveram a ideia de trazê- la ao Brasil?
A FailCon é um evento que ocorre desde 2009 em São Francisco, e surgiu exatamente para ir contra a cultura do sucesso que é fomentada nos eventos. Sabemos que o sucesso jamais pode ser replicado pois depende de uma série de fatores que não controlamos. Então se estamos mais próximos de falhar do que de ter sucesso, nada melhor do que aprender o máximo sobre o assunto para que possamos aprender e saber lidar com ele. A ideia de trazê-lo ao Brasil foi iniciada em 2010 e implementada de fato em 2012, para iniciar essa discussão aqui no país também, onde ainda temos muito receio sobre discutir falhas e fracassos.

Há quanto tempo existe a Failcon no exterior e onde ela foi originada?
Desde 2009, surgiu em São Francisco – California, nos EUA. O evento foi criado pela produtora de eventos Cassandra Phillipps.

Qual a projeção de crescimento da feira em relação aos participantes, palestrantes e empresas envolvidas?
A feira iniciou pequena em Porto Alegre, contando com 120 participantes no primeiro ano. No segundo ano este número se repetiu, e agora em 2014 fechamos uma parceria com o SEBRAE-RS para organizar o evento dentro da Feira do Empreendedor, que permitirá que a FailCon atinja um número muito grande de pessoas. A expectativa é que a FailCon cresça em passos largos, expandindo para outras capitais também.

Qual o público que tem frequentado as duas primeiras edições da feira? Qual a empresa responsável pela realização da feira no Brasil?
A maioria do público é composta por empreendedores, principalmente da área digital. Ainda assim, buscamos trazer gente de outras áreas, uma vez que os erros do empreendedorismo digital não costumam ser tão diferentes assim das demais áreas.

A feira pretende vir ao Recife?
Ainda não foi estudada essa possibilidade, mas nosso objetivo é levar para o máximo de cidades que pudermos.

Qual a dimensão da feira no Brasil em relação às realizadas no exterior?
A FailCon Brazil foi a segunda edição fora dos EUA a acontecer, perdendo apenas para a edição francesa. Como estamos em duas pessoas organizando, eu e o Rafael Chanin, isso nos permite uma melhor agilidade para tomar decisões. Felizmente percebemos que a edição brasileira está com um avanço bastante grande com relação as demais.

A feira está indo para a terceira edição. Qual a expectativa de público, patrocinadores e palestrantes?
Por acontecer dentro da Feira do Empreendedor do SEBRAE, temos uma expectativa de público de pelo menos 1.000 pessoas, durante os 4 dias em que o evento ocorrerá. Serão dois momentos por dia, de 45 minutos, o que permitirá impactar muita gente.

Como tem sido o feedback/aceitação da feira, o público tem aderido ou ainda é algo que vai “pegar”?
As pessoas gostam muito do evento, pois ouvir histórias de fracassos é algo que desmistifica muitas das coisas que elas cresceram aprendendo sobre empreendedorismo, gestão, negócios e inovação. Esse processo de desconstrução é muito importante e permite repensar uma série de falácias que acontecem no mercado empresarial.

Parceiros: