Gerenciando gerações: o desafio da convivência

283
Compartilhar:
matéria_710x375px

Conflito entre profissionais de diferentes idades pode se tornar um problema no ambiente corporativo.

Dica é monitorar as habilidades de cada ume explorar o diálogo de forma constante.

Viver em sociedade sempre foi um desafio para nós, seres humanos. Boa parte do nosso processo evolutivo se deu devido às adaptações ocorridas com a espécie para estabelecer os elaborados rituais do convívio social. No ambiente corporativo, não é diferente. Hoje, o conflito entre funcionários de gerações distintas no ambiente de trabalho nos impulsiona mais uma vez para o caminho da mudança. Quando colocamos várias gerações com modelos mentais diferentes para conviver confinadas em um mesmo espaço, é quase certo que o conflito vai acontecer de maneira natural. Este fato se deve às distintas experiências de vida e aos valores contrastantes que marcam a mudança entre as diferentes gerações.

A diferença entre as gerações é fundamental para que possamos criar um novo modelo de trabalho onde as habilidades e a experiência de cada um possam ser aproveitadas ao máximo em beneficio da empresa. Não importa se a ideia para resolver os problemas veio de alguém da Geração X ou da Geração Y. O diretor da Bandeirantes Mídia Exterior, Marcelo Santos, explica que reduzir um possível impacto do conflito de gerações no ambiente de trabalho é mais uma questão de diálogo que qualquer outra coisa. “Os mais velhos podem sentir a falta da formalidade, enquanto os mais jovens podem se sentir desrespeitados se as suas percepções e novas ideias não forem valorizadas. Deve-se buscar um ponto de equilíbrio, valorizando a experiência e as ideias de cada geração”, pontua.

Esta segregação de gerações é algo que deve ser colocado em xeque se desejamos construir um futuro colaborativo e inclusivo. Esse futuro profícuo depende da capacidade de se tecer uma convivência de maneira inteligente com as diferenças. Não raro, a empresa é um ambiente onde os funcionários perdem muito tempo tentando firmar posições e defender espaço diante de prováveis concorrentes. Ficar refém de um conflito de interesses é erro recorrente e deve ser evitado.

A gerente de Recursos Humanos do Instituto Nokia de Tecnologia, Vanessa Milon, pondera que a busca pelo novo é algo intrínseco ao profissional da Geração Y. Muitas vezes, eles preferem ter novas experiências e amadurecer a partir delas do que propriamente obter ganhos financeiros. “Percebemos em nosso dia a dia que são pessoas jovens, inteligentes, que apresentam conhecimento embasado e mais aprofundado sobre temas, têm pensamento mais racional e algumas vezes têm muita e outras vezes, pouca pressa. Mas são muito bons no cumprimento dos prazos”, resume.

Na verdade, o que temos hoje nas empresas não é um conflito de gerações, mas um conflito de poder. A Geração X busca manter suas posições de poder pelo maior tempo possível e a Geração Y tenta firmar ideias e conquistar seu espaço dentro das novas organizações. O executivo Marcelo Santos explica que, para obter sucesso nesse cenário insalubre, o executivo moderno necessita de uma série de atributos. Como, então, aproveitar ao máximo o que cada uma dessas gerações tem a oferecer?

“Cada geração protege seus valores e os conflitos podem ser uma ameaça a eles. Por exemplo, enquanto a Geração X é mais centralizadora e age de forma isolada, a Geração Y valoriza equipes abertas e honestas, que colaborem juntas. A melhor forma de lidar com estas diferenças é harmonizar a experiência, habilidades e anseios de cada geração”, assevera. Em linhas gerais, o profissional da Geração X, mais experiente, é extremamente competitivo e estrategista. Eles costumam valorizar os relacionamentos interpessoais e, não raro, são adaptativos.

Aqueles profissionais da Geração Y, explica Vanessa Milon, são mais ávidos por reconhecimento e esperam por um feedback quase que constantemente. “São engajados e preocupados com as questões relativas à responsabilidade social e ambiental, apreciam muito o trabalho em ambientes colaborativos, querem um balanço justo entre trabalho e vida pessoal e demandam muitos treinamentos e tecnologias de ponta. Querem também desafios , confiança e aliança entre seus valores e os da empresa”, conclui.

Temos que estabelecer uma conexão entre as habilidades de cada uma destas gerações para superar os desafios: de um lado temos que aproveitar o comprometimento, a experiência e a estabilidade diante das mudanças típicas da Geração X, e também a curiosidade, a inquietação, a capacidade de lidar com múltiplas tarefas e a energia da Geração Y para promover negócios e preparar o ambiente para as próximas gerações. O desafio das lideranças é estabelecer a bases para equilibrar este conjunto de expectativas de forma harmônica e equilibrada para que seja possível potencializar os pontos positivos e reduzir o impacto negativo do choque de interesses entre as diferentes gerações no ambiente de trabalho

É preciso treinar e investir na Geração Y para que ela possa herdar todas as conquistas que a Geração X conquistou: liberdade de expressão, globalização e toda a base tecnológica deixada para os nativos digitais, que agora enfrentam o dilema de tornarem-se líderes sem perder a própria identidade.

 

CARATERÍSTICAS MARCANTES DA GERAÇÃO Y:

  • Colaborativos;
  • Conectados;
  • Questionadores;
  • Imediatistas;
  • Nascisistas;
  • Aprendem em grupo;
  • Valorizam a competência;
  • Produz conteúdo;
  • Multitarefa.

 

CARACTERÍSTICAS MARCANTES DA GERAÇÃO X:

  • Competitivos;
  • Individualistas;
  • Adaptativos;
  • Estrategistas;
  • Autoconfiantes;
  • Aprendem sozinhos;
  • Valorizam relacionamentos;
  • Consumidor de conteúdo;
  • Foco único.

 

ENTREVISTA PING-PONG

O QUE O PROFISSIONAL DA GERAÇÃO X PODE FAZER PARA SE ADAPTAR ÀS MUDANÇAS E CONSEGUIR TRABALHAR EM HARMONIA COM AS NOVAS GERAÇÕES?
MARCELO SANTOS: as pessoas da Geração X são práticas, empreendedoras e independentes. Respeitam autoridades e hierarquias. Preferem ler livros, revistas e jornais, ao invés de utilizar tablets e smartphones para obter as informações. Para conseguir uma forma de harmonia, o desafio da Geração X está justamente em se adaptar à velocidade da comunicação e nunca ser relutante em utilizar as novas tecnologias. Redes sociais e de relacionamento, além dos aplicativos para smartphone, são ferramentas que a Geração X necessita conhecer, mesmo que superficialmente, para que obtenha uma relação de equilíbrio e harmonia com as novas gerações (Y e Z).

O QUE UMA EMPRESA PRECISA FAZER PARA CONQUISTAR OS MELHORES TALENTOS DA GERAÇÃO Y?
VANESSA MILON: a empresa precisa realmente ser muito competente e ter muitos atrativos para conquistar e reter esses profissionais. Precisa administrar diariamente o comportamento das diferentes gerações e monitorar as expectativas e aspirações. Precisa, ainda, estar disposta a investir no desenvolvimento destes talentos, já que eles estão sempre em busca de conhecimento e, principalmente, projetos desafiadores. Outra ação importante é saber administrar os conflitos entre as gerações, objetivando o entendimento entre as mesmas, para reforçar o que cada uma tem de melhor para oferecer.

Parceiros: