TRANSFORMANDO NETWORKING EM NEGÓCIOS

TRANSFORMANDO NETWORKING EM NEGÓCIOS

Não tenho dúvida em afirmar que o sucesso já tentou bater em sua porta diversas vezes, na maioria delas sua porta estava fechada, e por isso, as oportunidades foram buscar refúgio em outro lugar. A questão é: Você está preparado para quando o sucesso bater de novo em sua porta? A maioria de nós responderá que não. Precisamos entender que existem momentos em nossa vida profissional que o alinhamento de forças e oportunidades surge a nossa frente sem avisar, quando isso acontece, temos que mobilizar rapidamente as nossas melhores competências internas e acionar de imediato as nossas fontes de recursos externos para atender a este chamado.

Tanto as competências internas quanto os recursos externos dependem de esforço concentrado e de trabalho contínuo para estarem disponíveis no momento em que precisarmos. Não podemos responder aos chamados do sucesso com prontidão e agilidade se este conjunto de forças internas e externas estiver inerte e adormecido. Para trabalhar as nossas competências internas temos que identificar de forma precisa os nossos principais pontos fortes e investir tempo e energia suficientes no desenvolvimento destas características. Este conjunto de forças internas são o nosso diferencial estratégico e traduzem nossas habilidades naturais para determinada atividade. É sobre estes pontos fortes que devemos construir a nossa carreira e não na tentativa de reduzir as nossas fraquezas.

Aqueles que pensam em construir o seu sucesso baseados na superação das suas limitações naturais não aprenderam ainda a usar de forma inteligente o equipamento de fábrica que Deus lhes deu. Somos dotados geneticamente com habilidades e inclinações especificas que precisam ser identificadas e desenvolvidas logo cedo em nossa vida. Esta vantagem competitiva quando localizada cedo, pode ser exercitada e estimulada até que possa ser transformada em pontos fortes que irão nos ajudar a exercer as atividades para quais temos maior vocação com destreza e criatividade. Este conjunto de habilidades naturais forma o nosso código de competências genéticas, quando violamos este código, desenvolvemos um sentimento de frustração em relação ao nosso trabalho que pode ser fatal para o nosso sucesso profissional.

As fontes de recursos externos são acessadas através da nossa rede de relacionamentos. É através desta rede que podemos ter acesso as linhas de financiamentos, aos equipamentos e máquinas, as informações privilegiadas e as pessoas que podem nos ajudar a tirar os nossos projetos do papel. Todos os recursos que estão disponíveis no mercado precisam ser acessados através da nossa rede de contatos, é esta rede que abrirá as portas e colocará você frente a frente com tudo aquilo que você precisa para chegar aos seus objetivos. Sem conhecer as pessoas certas e manter com elas um relacionamento de confiança fica muito difícil obter os recursos necessários para seguir em frente. Não basta apenas investir em nossas competências internas e desenvolver os nossos pontos fortes, temos que construir uma rede de relacionamentos que possa dar suporte aos nossos projetos para que eles possam ser transformados em realizações.

Com nosso talento identificado e com uma visão panorâmica das pessoas que podem nos ajudar a encontrar os recursos necessários para colocar os nossos projetos em prática, temos agora que superar as barreiras naturais que nos impedem de investir de maneira produtiva e eficiente na construção de uma rede de relacionamentos forte e confiável. Estas barreiras são na maioria das vezes fruto da nossa própria acomodação e de um conhecimento limitado acerca dos princípios fundamentais para formação de redes de negócios inteligentes. Poder acessar esta rede de forma rápida para obter os recursos disponíveis sempre que necessário é um ativo importante na construção do nosso sucesso pessoal e profissional.

Esta facilidade de acesso está diretamente ligada ao tipo de trabalho que você vem fazendo para posicionar a sua marca pessoal, tornando-a atraente aos olhos dos investidores e parceiros que estão convivendo no ecossistema de negócios que existe disponível no mercado. Quando aprendemos a identificar e superar estas barreiras naturais, temos mais chances de nos aproximar de maneira organizada e planejada das pessoas que podem facilitar o acesso aos recursos necessários para transformar oportunidades em negócios lucrativos e viáveis. A seguir iremos apresentar cada uma destas barreiras e indicar como cada uma delas afeta negativamente o nosso trabalho de networking afastando de nós as chances de sermos bem sucedidos na busca dos recursos e das oportunidades oferecidas pelo mercado.

PRIMEIRA BARREIRA: DIFICULDADES PARA OUVIR

Existem pessoas que confundem networking com vendas, e com isso ficam o tempo todo falando da sua empresa, dos seus produtos e dos seus serviços. O momento do networking não é a hora de vender, o networking existe, para que possamos ouvir as pessoas e construir com elas um relacionamento. Sem entender o perfil da pessoa, sem compreender de que forma você poderá ajudá-la e sem saber as suas reais necessidades fica difícil estabelecer uma relação de confiança que possa ser transformada em negócios. O foco do trabalho de networking deve ser entender de que forma podemos agregar valor aos objetivos da outra pessoa, e não iremos conseguir isso, se ficarmos o tempo todo falando apenas dos nossos próprios interesses, temos que falar de coisas que interessem a outra pessoa e não a nós.

SEGUNDA BARREIRA: PILOTO AUTOMÁTICO

]No piloto automático não somos nós que estamos no comando, são as rotinas automáticas da nossa mente que estão funcionando. Isso acontece quando a nossa cabeça está muito cheia de preocupações ou quando a conversa está muito chata, com isso, começamos a perder a concentração e a viajar em nossos próprios pensamentos, fazendo com que estejamos presentes no momento do networking apenas de corpo, mais não de alma, e sem estar inteiro, não é possível fazer networking de maneira inteligente. Não podemos entrar no piloto automático e ficar repetindo frases feitas como se todas as pessoas tivessem os mesmos interesses, temos que adaptar a nossa mensagem para que ela possa soar de maneira interessante para cada pessoa com quem falamos.

TERCEIRA BARREIRA: FALTA DE AMEAÇAS

Quando estamos muito seguros sobre a nossa carreira e  não conseguimos enxergar nenhuma crise se aproximando, deixamos de fazer networking por falta de ameaças. Existem pessoas que só pensam em sua rede de relacionamentos quando perdem o emprego e precisam se recolocar no mercado ou quando a sua empresa está com problemas financeiros e precisa de um empréstimo. Não podemos esperar sentados a crise chegar para começar a investir em nossos relacionamentos, precisamos fazer isso enquanto estamos em alta no mercado. Quando faltam ameaças, naturalmente relaxamos e nos acomodamos com o nosso próprio sucesso, este é um erro fatal, precisamos manter nossa imagem comentada no mercado, independente se estamos precisando ou não de apoio para alguma mudança em nossa vida profissional.

QUARTA BARREIRA: FALTA DE EXERCÍCIO

A falta de prática também dificulta a construção de uma boa rede de relacionamentos, conviver com pessoas exige de nós tempo e dedicação. Sem esforço não existe recompensa, é como no esporte, quando não trabalhamos determinado músculo, ele atrofia e perde força. A mesma coisa acontece com nossos relacionamentos, quando não exercitamos o contato e o convívio, a relação enfraquece e morre. É preciso manter nossa capacidade de fazer contatos e de influenciar pessoas sempre ativa, este é um dos segredos para se tornar um campeão do networking. Quanto mais você exercitar a sua capacidade de construir relacionamentos, mais fácil será interagir e conviver com as pessoas nos mais diversos ambientes, portanto, pratique networking todos os dias.

QUINTA BARREIRA: FALTAM OBJETIVOS

Fazer networking sem objetivos específicos é como caçar no escuro, quando não sabemos onde esta a nossa presa, fica muito mais difícil acertar o alvo. Precisamos definir claramente quem são as pessoas com quais desejamos fazer contato, feito isto, é necessário montar um dossiê de informações úteis, que possa nos colocar frente a frente com nosso alvo. Com o objetivo definido e com as informações em mãos, podemos criar as oportunidades para que aconteça o tão desejado encontro. Precisamos ter metas em networking como temos em qualquer outra área da nossa vida, para isso é necessário agir planejadamente e saber escolher as melhores oportunidades para buscar os contatos que desejamos. Agir sem objetivos claros é uma forma amadora e pouco confiável de construir relacionamentos, precisamos olhar na direção certa se desejamos encontrar no mercado as pessoas que estamos procurando.

SEXTA BARREIRA: MEDO DO FRACASSO

O medo do fracasso é um inimigo poderoso que precisamos enfrentar e dominar se desejamos nos tornar um campeão de networking. Quem tem medo de cometer erros não se estabelece nesta atividade de alto risco, pois quando lidamos com pessoas tudo é imprevisível, não temos como controlar suas reações e suas atitudes. O que podemos fazer para evitar os enganos é nos preparar melhor, buscando mais informações sobre as pessoas e suas atividades, para tentar montar com estas informações um cenário futuro que favoreça a busca pelos nossos objetivos e a aproximação com as pessoas que desejamos estabelecer contato. Superar o medo do fracasso deve ser uma meta constante em nossa vida, quem vive sob as algemas do medo, está preso e ainda não se deu conta disso. Precisamos primeiro nos libertar desta barreira para que possamos em seguida estabelecer nossa rede de contatos com a segurança, a desenvoltura e a competência exigidas pelo mercado.

SÉTIMA BARREIRA: MEDO DE NÃO SER ACEITO

Nós somos animais sociais, dependemos da aceitação do grupo para que possamos construir a nossa própria felicidade, acontece que maioria das vezes, não conseguimos atender aos padrões impostos pela sociedade, e com isso ficamos frustrados e nos isolamos. Ficar isolado, é o que de pior pode acontecer, não devemos nos limitar pelos padrões sociais, muito pelo contrário, devemos dar vazão ao nosso próprio estilo e a nossa forma de pensar, a diversidade precisa ser tolerada e estimulada, para que possamos viver em uma sociedade mais humana e democrata. Não se deixe influenciar pelos padrões da sociedade, seja original e acredite na sua capacidade de agregar valor sem renunciar ao seu próprio estilo, aprenda a conhecer seus pontos fortes e construa a sua imagem pública baseado no seu diferencial. Vencendo estas barreiras teremos mais chances de encontrar pessoas que possam nos apoiar e patrocinar as nossas ideias e projetos e com isso estaremos preparados para quando as boas oportunidades de negócios baterem novamente a nossa porta.

Deixe um comentário