O charme da Costa Amalfitana

278
Compartilhar:
matéria_710x375px

Contornado pelo Mar Mediterrâneo, local é recomendado tanto para quem deseja descansar, como para quem quer badalar.

Guia preparado pela Radar Executivo reúne dicas variadas para aqueles que pretendem conhecer essa maravilha cravada na costa italiana.

Dona de uma beleza sem igual, a Costa Amalfitana, localizada no litoral sul da Itália, a 70 km de Nápoles, reúne uma gama de cidades que encantam visitantes do mundo todo. Dentre elas, destacam-se Amalfi, Ravello, Minore, Maiore e, considerada a mais famosa entre elas, o lindo vilarejo Positano. Com suas montanhas rochosas e a imensidão do Mar Mediterrâneo, a Costa é cenário digno de filmes e um destino muito apropriado para descansar, curtir a paisagem e viagens de lua de mel.

Além disso, nós, brasileiros, não precisamos de visto para conhecer o local. Também não se exige nenhum tipo de vacina para realizar essa viagem. Tendo todas essas vantagens em mente, a Radar Executivo preparou um guia exclusivo para o leitor que ainda está indeciso sobre a próxima viagem internacional que fará. Confira abaixo uma série de dicas que, certamente, vão colocar a Costa Amalfitana no topo da sua lista de “lugares para conhecer”.

 

Positano
Alugar um carro é a melhor opção para quem vai à Costa Amalfitana, pois dá liberdade ao viajante de parar sempre que quiser para apreciar os belos cenários da estrada, que, com inúmeros túneis, pontes e mirantes, já é um show a parte. O encontro com Positano é um dos pontos marcantes da viagem, por se tratar da mais charmosa cidade do litoral amalfitano. Devido à geografia montanhosa, foi erguida quase que verticalmente. Suas casas nas encostas dá a Positano um ar de cidade cinematográfica. No local, há a possibilidade de visitar as praias mais afastadas, com o serviço de lanchas-táxis que fazem o transporte dos turistas por cerca de € 5 por pessoa. Por se tratar de um destino exclusivo e pequeno, sua capacidade de visitação é limitada, o que torna necessário se programar com antecedência.

Amalfi
O trecho mais belo da estrada está entre Positano e Amalfi, com inúmeras praias ao longo do trajeto. O que torna as praias de pedrinhas da Costa Amalfitana ainda mais especiais é o entorno das montanhas e a transparência cristalina das águas. A cidade possui importância histórica, apesar de ser um local muito pequeno. No século 11, foi uma das principais cidades do comércio marítimo e uma das primeiras a fabricar o papel. A maior parte dos turistas chega à cidade de barco, que saem de Positano e Salerno, para passar o dia, que é tempo suficiente para conhecer as charmosas ruas com arcos, visitar a bela catedral, tomar um sorvete na Piazza Duomo e passear por suas lojas.

Ravello
Logo após Amalfi, está a entrada para Ravello, cidade que foi construída no topo da falésia comprida. Em séculos passados, época em que Amalfi era importante cidade do comércio marítimo europeu, existia o risco de ataques piratas, o que motivou a construção de Ravello no alto da montanha. O cheiro das flores e o som dos pássaros trazem paz à região, que não possui ruas para os carros circularem, apenas caminhos para pedestres. Devido a isso, os automóveis ficam no estacionamento que se localiza na entrada da cidade. Todo o vilarejo pode ser conhecido em uma única tarde.

 

Quando ir
Durante o ano, há vários períodos interessantes para visitar a Costa Amalfitana. Na primavera, já é possível tomar banho no mar das bonitas praias locais. A beleza das cores e o perfume das flores também atraem muita gente nessa época, pois a temperatura é muito agradável e é quando as cidades não estão cheias, por anteceder os meses de férias. Para quem curte agito e festas, o ideal é programar a viagem para os meses de julho e agosto, quando a maioria dos shows e festivais locais acontecem, o que faz com que muitos restaurantes e hotéis da Costa estejam lotados. No mês seguinte, em setembro, as cidades estão menos lotadas e o clima ainda é quente, o que torna um bom período para os turistas.

Como chegar
Localizado a 62 km do aeroporto de Nápoles, o meio de transporte mais utilizado é o ônibus, porém, o viajante deve ir de Nápoles até Sorrento e, de lá, seguir até a Costa. A viagem dura entre uma hora e uma hora e meia. Também há a opção do transfer ou aluguel de carro, mas que não diferencia muito na duração do deslocamento. Durante o verão, ainda há a possibilidade de chegar a Costa Amalfitana pelo mar, com as balsas que partem do Molo Beverello de Nápoles. Um táxi do aeroporto até o local de partida tem uma tarifa pré-determinada de cerca de 20 euros.

Como se deslocar entre as cidades
A Strada Statale 163, mais conhecida como a Amalfitana, encanta os turistas com a sua beleza. A rodovia, que tem 50 km de extensão, se caracteriza por suas curvas acentuadas que contornam o mar, e passa pelos diversos vilarejos da Costa Amalfitana. Pela estrada, há vários quiosques que oferecem a “granita”, a famosa raspadinha de limão do local. Para quem opta pelo transporte em meios públicos, a companhia Sita possui um serviço de ônibus que interliga as cidades. Vale lembrar que não é possível comprar a passagem dentro do transporte. Ela deve ser adquirida com antecedência e pode ser encontrada em bares da localidade.

Restaurantes
Os diversos restaurantes gourmet e tratorias de cozinha típica e caseira, ao longo dos 50 km do litoral, são garantias de uma culinária muito saborosa e com o requinte que o local merece. A comida é feita, geralmente, com produtos do território, como peixes, berinjelas, tomates, o limão de Amalfi e o delicioso queijo de Monti Lattari. Os restaurantes funcionam, de um modo geral, das 12h30 às 15h, para o almoço, e o jantar é servido das 19h30 às 23h. No verão, os horários podem mudar, pelo fato do sol se pôr mais tarde, o que torna possível encontrar locais abertos após esses horários. De todo forma, é sempre aconselhável fazer uma reserva no restaurante desejado.

Fugindo da rota
Para quem tem um tempinho a mais, a Ilha de Capri deve ser um destino certo. A ilha manteve a sua beleza dos tempos antigos e encanta já a partir do Porto de Marina Grande. Capri proporciona passeios inesquecíveis como uma ida a Villa Jovis, casa onde o Imperador Tibério dedicou a sua vida privada, uma noite em La Piazzetta de Capri, badalado centro da cidade, e apreciar a vista de toda a ilha no Monte Solaro.

Um dos principais passeios é fazer a navegação que contorna a ilha, com direito a parada na Gruta Azul, onde você troca o barco por uma canoa para entrar em uma fenda na rocha, que deixa todos surpreendidos com uma incrível tonalidade azul em suas pedras calcárias. Sem dúvida, a ilha se torna um destino inesquecível.

Outro destino próximo, que pode enriquecer ainda mais a sua viagem, é Sorrento. A meia hora da ilha de Capri, a cidade foi fonte de inspiração para poetas como Goethe, John Keats e Lorde Byron, com suas construções agarradas a um penhasco e com uma belíssima vista de um imenso mar. Além de passear por suas charmosas ruas, uma boa dica é mergulhar no Bagni Della Regina Giovanna, uma piscina natural que conta com uma passagem que leva para o mar aberto.

Parceiros: